Esse foi um roteiro muito especial: a primeira viagem internacional do filho dos Perrengueiros, de apenas nove meses, por Portugal, no mês de agosto de 2014. Nosso vôo partiu do Rio com parada em Lisboa, pelo vôo 74 da TAP, onde pegamos o vôo 1976 para o Porto. 

1º dia: Iniciamos pelo Porto, onde ficamos por três dias, hospedados na casa dos nossos tios. Chegamos à noite, bastante cansados e ficamos apenas curtindo a família.

2º dia: Fomos à cidade de Amarante, cerca de 60 km do Porto. Lá, visitamos o Mosteiro de São Gonçalo, com a bela ponte de pedra a sua frente, que cruza o rio Mondego. Caminhamos, então, por uma rua estreita (rua 31 de janeiro) até o final, numa praça onde fica o restaurante do meu primo Moisés, a “Pensão Avião”.

3º dia: Dia para visitar o centro do Porto! Pegamos o ônibus hop on hop off e descemos do outro lado do rio, em Vila Nova de Gaia. Almoçamos um prato típico, chamado “francesinha”, num restaurante na beira do rio. Depois, pegamos o teleférico para ver a linda vista lá de cima. Tomamos o ônibus novamente e resolvemos fazer o percurso inteiro, para ter uma noção de todo o Centro. Então, descemos na praça da Liberdade e fomos a pé até a torre dos Clérigos, livraria Lello e estação de trem São Bento, onde tomamos um táxi para voltar.

4º dia: Voltamos ao centro do Porto para conhecer um pouco mais. Visitamos duas vinícolas em Vila Nova de Gaia, fomos até a Sé e, de lá, a pé até a rua de Santa Catarina, uma rua de pedestres com bastante comércio, inclusive o Via Catarina shopping, onde fizemos um lanchinho.

5º dia: Último dia no Porto. Fomos até o aeroporto buscar nosso carro e, dali, partimos para Coimbra, cidade em que, também, ficaríamos três dias. No caminho, resolvemos parar em uma cidade chamada Santa Maria da Feira. (a 25 minutos do Porto). Nossa intenção era visitar o castelo medieval da cidade, mas, para nossa surpresa, a cidade estava em festa! Uma festa medieval incrível e passamos o dia todo lá, chegando em Coimbra apenas à noite (quase uma hora de estrada). Ficamos hospedados no Best Western Hotel Dom Luís.

6º dia: Fomos passear pela cidade de Coimbra. Visitamos a Sé Nova e a Universidade de Coimbra, com destaque especial para a belíssima biblioteca. Jantamos no restaurante Giro Churrasqueira (muito bom!), localizado próximo ao rio Mondego.

7º dia: Iniciamos o dia pela atração que eu mais desejava ver em Coimbra: Portugal dos Pequenitos, um parque com miniatura das atrações turísticas e casas típicas de todas as partes de Portugal. Um passeio e tanto para as crianças! Depois, fomos até à igreja Santa Clara-a-Nova e Santa Clara-a-Velha e, também, à Sé Velha. Demos uma volta pela cidade Baixa, andando do Largo da Portagem até a Praça do Comércio, passando pelo belo Arco de Almedina, que leva à cidade alta. Jantamos num restaurante simples (e honesto) na Baixa e voltamos para o hotel.

8º dia: De malas prontas, partimos para Alcobaça. No caminho, paramos em Tomar (uns cinqüenta minutos de distância), para conhecer o Convento de Cristo, construção iniciada no século XII, sede e morada dos monges cavaleiros da Ordem de Cristo. Destaque para a espetacular “Charola”, o oratório dos templários. Seguimos, então, para a cidade de Batalha (em torno de meia hora de distância), com o fim de visitar a abadia de Santa Maria da Vitória, uma obra-prima do gótico português! Finalmente, seguimos para Alcobaça (mais uns vinte minutos de estrada), onde nos hospedamos no Real Abadia, Congress & Spa Hotel. Deixamos as malas e saímos para jantar no Antônio Padeiro, um excelente restaurante!

9º dia: Foi uma noite apenas em Alcobaça, por isso colocamos as malas no carro e seguimos. Fomos conhecer a grande atração da cidade, a maior igreja de Portugal, o Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça. Além de uma arquitetura esplêndida, há, também, o fato de ser um local interessante pela bonita e trágica história de amor de Dom Pedro I (de Portugal) e Dona Inês de Castro. Pé na estrada (quase duas horas dirigindo)! Seguimos para o nosso destino do dia: Évora, onde passaríamos apenas uma noite. Chegamos ainda à tarde e a tempo de passear um pouco pela cidade. Iniciamos pela praça principal, a Praça do Giraldo e fomos caminhando até o famoso Templo Romano dedicado à Deusa Diana. Jantamos num maravilhoso restaurante chamado Fialho, um dos melhores da viagem! Ficamos hospedados no Ibis, que fica bem próximo da entrada da cidade murada.

10º dia: Antes de partir para o Algarve, passeamos um pouco mais por Évora. Fomos até à famosa Capela dos Ossos, à Sé, até o Largo da Porta de Moura, visitamos as muralhas que cercam a cidade e o aqueduto. Só chegamos ao Algarve à noite (em torno de 2h20min de viagem). Ficamos em Albufeira, em uma espécie de apartamento, com uma cozinha completa! O local se chama Parque 
Monte Verde. Passamos em um supermercado e compramos algumas coisas para jantar no hotel mesmo.

11º dia: No Algarve, o sol estava de rachar! Queríamos visitar algumas praias e parar em uma, depois das 16h, quando o sol estivesse mais fraco, por causa do baby. Já tinham me avisado que as praias do Algarve têm a água fria e que, quanto mais perto da Espanha, mais quentinha. Então, fomos até uma das praias mais perto da fronteira, a Monte Gordo. Doce ilusão, a água era bem fria, só molhamos o pé e nos mandamos! Terminamos o dia na praia da Falésia. Tínhamos visto que ela estava entre as top 10 do mundo. É realmente muito bonita e muito badalada, mas a água é mais que fria, é gelada!

12º dia: Nesse dia, desistimos de entrar na água e resolvemos conhecer o maior número de praias possível. Cada uma mais linda que a outra. A grande maioria com falésias, penhascos, cavernas dentro da água e com uma cor espetacular. Não imaginávamos algo assim tão bonito! Visitamos as praias de São Rafael, Senhora da Rocha, da Rocha, Dona Ana e a espetacular Ponta da Piedade. Fiquei enlouquecida com essa! Pena que estava já tarde. Recomendamos o passeio de barco. Ainda voltaremos aí para cumprir essa pendência.

13º dia: No último dia no Algarve, demos continuidade ao passeio pelas praias. Começamos pela praia Martinhal, apropriada para windsurf e afins, pois venta muito! Depois, fomos para a praia do Castelejo e terminamos em Arrifana. As malas já estavam no carro, pois, dali, seguimos para Lisboa, onde passaríamos oito dias.Chegamos à noite, depois de 2 horas e meia de viagem, e nos hospedamos no Turim Lisboa Hotel. Antes, jantamos no El Corte Inglés, que era bem pertinho de nosso hotel. 

14º dia: Em Lisboa, nós iríamos, finalmente, encontrar um casal de amigos com seu filho de três anos. A turma de Perrengueiros ficou maior. Precisamos até alugar uma van! Como era feriado em Lisboa, deixamos o carro estacionado na frente do hotel gratuitamente e fomos passear um pouco de metrô pela Baixa. Descemos na praça dos Restauradores e caminhamos um pouco pela avenida da Liberdade. Almoçamos na Praça dos Restauradores e fomos comer a sobremesa em uma pastelaria bastante tradicional na Praça da Figueira. Passeamos, também, pela praça do Rossio e caminhamos pela rua Augusta até a belíssima Praça do Comércio, à beira do rio Tejo. Jantamos no restaurante Bica do Sapato. Muito bom!

15º dia: No segundo dia em Lisboa, fomos ao Oceanário. Passamos o dia todo lá. É muito interessante, especialmente para crianças. Há uns jardins e chafarizes muito divertidos e aproveitamos para fazer o passeio de teleférico. Que visual! Jantamos ali mesmo, num restaurante chamado Nova Peixaria.

16º dia: Resolvemos passar o dia pelo bairro de Belém. Começamos logo pelo Mosteiro dos Jerônimos, cujo claustro é um dos mais bonitos que já vimos. No Mosteiro, estão enterrados Vasco da Gama e meu poeta preferido, Fernando Pessoa. Hora de almoçar e, depois, saborear o famoso pastel de Belém, da Fábrica de Pastéis de Belém! Hummmm!!! Depois, atravessamos o lindo jardim que fica em frente ao mosteiro e chegamos ao Padrão do Descobrimento, infelizmente, em reformas... Ainda a pé, fomos à Torre de Belém, mas, por pouquíssimos minutos, nós a pegamos fechada. Sentamos ali para apreciar o por-do-sol. Neste dia, marcamos de jantar com um amigo português, que deu a dica de melhor preço/qualidade de restaurante da cidade, o Mercado da Ribeira. São vários restaurantes, na verdade. Vale a pena!

17º dia: Seguimos direto para Sintra! São tantos lugares interessantes em Sintra que fica difícil decidir o que ver! Começamos pelo Castelo dos Mouros. Andar pelas muralhas é espetacular e a vista é encantadora! Visitamos, depois, o extravagante Palácio da Pena. 

18º dia: Dia de passear mais um pouco por Lisboa. Rumamos em direção ao Castelo de São Jorge. Além de ser uma construção linda, o visual é demais, dá para ver Lisboa toda lá de cima! A visão do rio Tejo é paradisíaca. Fomos almoçar no Bairro Alto, com aquela paradinha clássica para tirar a foto com a estátua de Fernando Pessoa em frente ao Café A Brasileira, onde ele costumava comer. O café estava lotado e, então, comemos num ao lado, muito bom, a Pastelaria Benard. Depois, passeamos pelo Chiado e fomos até o Elevador de Santa Justa, ver a vista dali. Dá para ver o Castelo de São Jorge do outro lado.! À noite, fomos jantar em um restaurante bastante chique, delicioso e famoso, o Eleven.

19º dia: Passamos o dia na fantástica cidade de Óbidos. Mais uma cidade medieval murada para a coleção dos Perrengueiros.! O barato na cidade é andar por suas ruas, meio sem destino. A rua principal, rua Direita, tem muitas lojinhas e restaurantes, oferecendo licor de Ginjinha. Experimentem! Almoçamos na Tasca Torta. À noite, exaustos, jantamos no El Corte Inglés mesmo, pertinho do hotel.

20º dia: Sintra novamente. Fomos ao Palácio de Monserrate, que está passando por uma enorme reforma. Mesmo assim vale a visita! É pequeno e se vê bem rapidinho. De lá, descemos para o centro de Sintra, para ver o Palácio Nacional de Sintra.  A sala dos Barões tem uma decoração incrível, com vários brasões. Encontrei até 
o brasão da minha família lá, os “Abreu”! Há muitos detalhes mouriscos interessantes. Parada fatal: Antiga fábrica de queijadas Piriquita. Coma os famosos travesseiros e morra de amores! O sol começou a descer e, então, resolvemos ver o por-do-dol em um lugar muito especial: Cabo da Roca. Descemos a serra de Sintra em direção ao mar para conhecer o lugar mais ao Ocidente da Europa. Não éramos os únicos, estava bem cheio. Mas é inesquecível!

21º dia: Último dia e ainda tanta coisa a visitar (como sempre!). Elegemos voltar ao bairro de Belém para visitar o Palácio Nacional da Ajuda e o Museu Nacional dos Coches. O Palácio Nacional da Ajuda foi o último palácio dos monarcas portugueses, mas, até hoje, cerimônias importantes do governo ainda acontecem no enorme Salão de Banquetes. O museu Nacional dos Coches me trazia boas recordações da infância. Há lindos coches e carruagens, considerada uma das mais bonitas coleções da Europa! Voltamos um pouco mais cedo, pois havíamos deixado para fazer algumas últimas compras no El Corte Inglés. Amanhã, casa!

22º dia: Volta para o Brasil pelo voô 77 da TAP Lisboa/Rio. O vôo era diurno e foi bastante tranqüilo, tanto para nós quanto para o Perrengueiro Jr..

1 comments :

  1. Adoro os seus posts, esse roteiro ficou show!
    Espero fazê-lo em breve :)

    ResponderExcluir