Esse foi um roteiro especial dos perrengueiros, nossa lua-de-mel pela Itália no mês de Abril de 2009. Nosso vôo partiu do Rio com parada em Paris, pelo AF443 da Air France, onde pegamos o AF1726 direto para Veneza.

1º dia: Iniciamos por Veneza, onde ficamos hospedados por 6 dias no Hotel Alcyone.

Largamos as malas no hotel e fomos conhecer a atração principal: a praça São Marcos e suas atrações: a igreja e o Palácio Ducal.

2º dia: Voltamos à Praça São Marcos para conhecer a igreja e o Palácio Ducal por dentro e, ainda, para subir até o alto do campanário e ter uma bela vista da cidade. Depois, caminhamos até outro famoso ponto turístico, a ponte Rialto, no Grand Canal.

3º dia: Dia para visitar algumas das ilhas que formam Veneza, escolhemos Murano, Torcello e Burano. A ilha de Murano é famosa pelos lindos vasos e esculturas de vidro. Em Torcello, visitamos a catedral de Santa Maria dell’Assunta e a igreja Santa Fosca. Burano é demais, com suas casas coloridas.

4º dia: Passeamos por quase toda cidade de Veneza. Vimos várias atrações como o Ca’doro e as igrejas de Santa Maria della Salute, Santa Maria Dei Miracoli e São Giovanni e Paolo.

5º dia: Tiramos um dia inteiro para conhecer Verona, num bate-e-volta de trem. O percurso leva aproximadamente 1h e 10 minutos com varias saídas ao dia pela Eurostar Itália.
   
6º dia: Após o check-out do hotel, fomos para estação para pegar um dos vários trens da Eurostar Itália que partem para Florença. Em pouco mais de 2h e meia, chegamos. Ainda deu tempo para conhecer a ponte Vecchio e passear pela Praça da Santíssima Annunziata, onde fica a Hospedaria dos Inocentes, e pela praça de São Marco.

Fomos para ficar 6 dias em Florença, hospedados no Hotel Adler Cavalieri.   

7º dia: Iniciamos o dia pela Galleria dell’Accademia, ansiosos para ver o tão famoso David de Michelangelo. Depois, fomos ao Duomo, uma das atrações mais esperadas da viagem por nós. Subimos no campanário para aproveitar a linda vista e, é claro, visitamos o campanário. A caminho da ponte Vecchio, aproveitamos para dar uma paradinha na “igreja de Dante” ou igreja de Santa Margherita dei Cerchi e tirar umas fotos na frente da Orsanmichelle e do Palácio Strozzi. Aproveitando a disposição para caminhar, fomos até o Palácio Pitti. Voltamos para ver que tal ficava a bela ponte Vecchio à noite. Vimos o Mercato Nuovo já vazio e terminamos a noite jantando na Praça da República.

8º dia: O ponto de partida hoje foi a Piazza della Signoria. Entramos no Museu Uffizi, para ver suas belíssimas obras de arte. Após, visitamos o Palácio Davanzati e Bargello. Para poder conhecer por dentro, fomos desta vez mais cedo para o Palácio Pitti, onde passamos um bom tempo para aproveitar seus belos jardins.

9º dia: Mais um bate e volta, iniciando pela famosa cidade de Pisa. O trem que parte de Florença é super rápido e, em uma hora, já se está no coração da cidade e a poucos passos a pé da imperdível Torre inclinada. De Pisa, seguimos para uma outra cidade não tão famosa, mas que vale muito pela história e arquitetura, Lucca. Essa cidade medieval tem torres que podem ser visitadas e em uma delas há uma curiosa árvore no topo. Ali também é possível ver como uma antiga arena de gladiadores se tornou moradia dos cidadãos de Lucca.

10º dia: Nosso último dia completo em Florença. Fomos à Praça Michelangelo, que possui uma linda vista da cidade e é realmente um passeio imperdível. Depois, fomos até as igreja de San Miniato Al Monte, San Lourenzo e Santa Croce.

11º dia: Tínhamos poucas horas antes do trem, mas resolvemos conhecer o palácio Vecchio por dentro, já que, em outras oportunidades que passamos em frente, ele estava fechado e havia uma indicação de que abriria neste dia. Valeu muito a pena.

Deixamos Florença para trás, já com muita saudade, e pegamos um dos mais longos trajetos de trem, pouco mais de 3 horas, para chegar em Nápoli, mesmo sendo o trem AVI – Alta Velocidade Itália, que tem várias saídas ao dia. Em Nápoles, alugamos um carro e fomos direto para Sorrento onde ficamos no Hotel Eden. Sorrento é o melhor lugar para se hospedar na região, porque tem barco e trem para todos os lados. Só recomendo alugar o carro para conhecer as outras cidades locais.

12º dia: Mesmo com o carro, preferimos pegar um barco para voltar a Napóles para passar o dia no museu arqueológico. Dirigir em Nápoles é uma loucura, além de o trânsito ser caótico, os motoristas estão à beira de um ataque de nervos. O museu é sensacional. Praticamente tudo que foi retirado das escavações de Pompeia e Herculano estão lá. Voltamos a tempo de ver o por-do-sol em Sorrento.

13º dia: No segundo dia, pegamos o trem circunvesuviano para Pompeia, a famosa cidade soterrada pelo vulcão. Tínhamos a ideia de visitar Herculano também, mas não deu tempo. Na verdade, embora tenhamos passado o dia em Pompeia, ainda assim, não vimos tudo o que o audioguia mandava ver. Isso porque, até hoje, apenas um terço da cidade foi escavada. Bom, somos muito detalhistas...

14º dia: No terceiro e último dia em Sorrento, acordamos mais cedo para poder dividir o dia em duas etapas: pela manhã, tomamos um barco até a ilha de Capri, a ilha dos ricos e famosos. Pena que o tempo estava instável e algumas vezes chegou a chover. Pela tarde, finalmente utilizamos nosso carro alugado e fomos passear por toda a Costa Amalfitana, parando em algumas das pequeninas cidades litorâneas. A Costa amalfitana é linda, o ponto alto da viagem em termos de romantismo. Algumas das cidades que visitamos: Positano, Amalfi e Ravello, que tem uma belíssima vista!

15º dia: Saímos de Sorrento de volta para Nápoles de carro e, após um pequeno perrengue para devolver o carro alugado, conseguimos chegar à estação para pegar o último trem da viagem para Roma. Fomos novamente no trem AVI e, em menos de uma hora e meia, estávamos no coração da Itália. Nos hospedamos no Hotel Canova, onde ficamos por 7 dias.

Como costumamos fazer, deixamos as malas e fomos ter a primeira impressão da cidade a pé.

16º dia: Pela manhã, fomos ao famoso Coliseu. À tarde, emendamos no Fórum Romano. À noite, demos umas voltas pela cidade e vimos a curiosa Bocca della Veritá, na Igreja Santa Maria in Cosmedin.

17º dia: Voltamos para o Fórum Romano e aproveitamos para ver os arredores, o Fórum de César, o cárcere mamertino, na igreja de san Giuseppe dei Falegnami, o Fórum de Augusto e o Fórum de Trajano e Mercados. Seguimos caminhando até o Monumento a Vittorio Emanuele III e até o bonito monte capitolino.

18º dia: Passamos o dia no Vaticano, visitando o museu. Quando saímos do museu, a igreja de São Pedro já estava fechada. A pé, fomos até a linda Ponte de Sant’Angelo. À noite, passeamos pela Piazza Navona.

19º dia: Voltamos ao Vaticano para conhecer por dentro a igreja de São Pedro. Depois, fomos até o Pantheon, que chama muita atenção pelo seu excelente estado de conservação. Dali, seguimos para a Igreja de Santo Inácio de Loyola, que nos chamou muita atenção pelas espetaculares pinturas do teto, que davam a impressão de ser em 3D.

20º dia: Nosso último dia em Roma! Começamos, então, pela igreja que ficava bem perto do hotel, na praça onde pegávamos metrô, a igreja Santa Maria Maggiore. Muito bonita e luxuosa! Pegamos o metrô e fomos até a última atração que queríamos realmente ver: as termas de Caracalla. Grata surpresa pela gradiosidade! E, então, fomos caminhar por Roma, nos despedindo da cidade. Passamos pela Pirâmide de Caius Cestius, Porta San Paolo, Ara Pacis – que possui as partes faltantes reconstituídas, dando uma ideia perfeita de como era - e terminamos na Piazza del Popolo.

21º dia: Volta para o Brasil pelo voô AF9831 Roma / Paris da Alitalia, quase fim da viagem, mas não sem antes um bom perrengue. Continuamos de Paris no voô AF44 da Air France para o Rio.

2 comments :

  1. Ola... adorei o relato sobre sua lua de mel! Estamos pensando em fazer parecido, mas gostaria de passar uns 6 dias só na costa amalfitana, como nossa lua de mel é em abril estou com medo de estar muito frio e nao aproveitar muito o lugar. Valeu a pena?? Acha q seria melhor ir em outra epoca para essa regiao??
    Obrigada desde ja!

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabriela! Obrigada! Estava friozinho sim. Fiquei de roupa de manga comprida todos os dias. Casaco mesmo só à noite. Eu deixaria, ao menos, para maio! Bjs!

    ResponderExcluir